31/01/18 10:10

APCEF-PR lança média temporada na sede de praia. Inscrições abertas!

As águas de março fecham o verão, parafraseando a música de Tom Jobim, mas na APCEF-PR, antes mesmo desse mês, abre-se a oportunidade de aproveitar a praia fora de época. É a média temporada 2018 na sede de Caiobá, lançada esta semana, cujo início ocorre no dia 26 de fevereiro e o encerramento em 1º de maio. E o melhor: os períodos têm pacote promocional.

Quem estará de folga nessa época pode fazer sua inscrição até o dia 23 de fevereiro, pelo e-mail sedes@apcefpr.org.br . O débito será realizado no dia 20 do mês que antecede as reservas.

Ao todo há oito períodos disponíveis, indicados por letras (de A a G). Cada um corresponde a sete dias. Quem só consegue dar uma fugidinha no final de semana, pode optar pelo pacote com entrada na sexta-feira, a partir das 17h, e saída no domingo até as 18h.


Confira os valores dos pacotes:

Sete dias
Apartamento simples (duas pessoas): R$ 280
Apartamento duplo (cinco pessoas): R$ 500,00
Convidado: diária R$ 30,00.

Final de semana

Apartamento simples: R$ 140
Apartamento duplo: R$ 250,00.
Convidado: diária R$ 30,00.

Os períodos de 7 dias são:

 

 

A - De 26/02/2018 até 05/03/2018

B - De 05/03/2018 até 12/03/2018

C - De 12/03/2018 até 19/03/2018

D - 19/03/218 até 26/03/2018

E - De 02/04/2018 até 09/04/2018

F - 09/04/2018 até 16/04/2018

G - 16/04/2018 até 23/04/2018

H - 23/04/2018 até 01/05/2018

Com entrada a partir das 18h e saída até as 12h.

 

 

 

_MG_9311.jpg

Rita Serrano: Mudança no estatuto da Caixa é novo ataque ao banco público

Representante dos empregados no CA, Rita Serrano votou contra alteração que acaba com exclusividade de empregados assumirem diretorias

ASSEESSORIA JUDIRDICAS _CGPAR 600X400.jpg

Entidades debatem estratégias jurídicas para defesa das autogestões de saúde

Encontro promovido em Brasília contou com a presença de 24 entidades e do Ministério Público do Trabalho

defit-sobe-73-twitter.png

Deficit da Funcef cresceu 73% nos últimos quatro anos

Investimentos apresentaram pior resultado semestral dos últimos quatro anos. Dirigentes colocam culpa nos caminhoneiros, nos juros dos EUA e nas eleições