13/03/18 15:42

Eleições 2018: Funcef está pronta para garantir uma votação segura e acessível?

Comissão Eleitoral apresentará às chapas o sistema de votação online. Questões como segurança, estabilidade e acessibilidade preocupam participantes

Nesta quarta-feira (14), a Comissão Eleitoral das Eleições 2018 apresentará o sistema de votação, para que as chapas possam ter referências em relação às condições de segurança da informação do site e do aplicativo para smartphones. Com a votação exclusivamente online, serão necessários uma infraestrutura adequada para garantir o bom funcionamento do processo, mecanismos de proteção, entre outros aspectos que garantam o pleno acesso dos participantes. Se a exclusividade da votação online já é um fator excludente, os ambientes digitais da Funcef estão mesmo prontos para garantir uma votação segura?

“A integridade do sistema de votação é essencial para que tenhamos um processo eleitoral seguro e confiável. Está em jogo o direito dos participantes escolherem os dirigentes do fundo de pensão. Esperamos que a Funcef esteja tomando todas as providências necessárias”, afirma a diretora de Saúde e Previdência da Fenae, Fabiana Matheus.

É preciso estimular o acesso ao autoatendimento

Até o momento, a fundação não divulgou o número atual de participantes com senhas cadastradas no Autoatendimento, nem daqueles que estão com cadastro bloqueado. Dados informais indicam que mais da metade dos participantes não está com sua senha em dia.

A falta de transparência tenta disfarçar o pouco empenho da fundação em estimular o acesso à área de uso restrito dos participantes, onde eles podem encontrar uma série de informações de serviços de grande relevância. Extratos, balanços, política de investimentos, entre muitas outras consultas podem ser feitas no autoatendimento do site da Funcef. Mas muita gente nem sabe como fazer. Se você tem dúvidas, clique aqui.

Falhas de acessibilidade

Outro ponto relevante é a forma como os sites são adaptados ao acesso por portadores de necessidades especiais. Análise feita com o auxílio do avaliador de sites Da Silva, mostra que o site da Funcef apresenta dificuldades de acessibilidade para pessoas com problemas de visão, limitações motoras, entre outras. Dados informados pela Caixa indicam que, em 2016, cerca de 1300 empregados do banco tinham alguma necessidade especial. Sobre os aposentados e pensionistas, não há informação.  

Adotado como referência no mercado, o DaSilva foi criado pela ONG Acessibilidade Brasil com base em padrões internacionais como W3C/WAI, WCAG1, WCAG2 e E-MAG.  O aplicativo aponta 82 inconsistências classificadas como “prioridade 1” no site da Funcef. São aspectos que precisam ser plenamente ajustados para que um ou mais grupos de usuários não sejam impedidos de acessar as informações. Entre as falhas, está a limitação ao uso do teclado para quem não utiliza o mouse, e obstáculos à navegação para cegos, daltônicos e pessoas com baixa acuidade visual.

Outros três erros classificados como “prioridade 2” foram apontados. Estes são ajustes recomendados para evitar dificuldades de acesso e tornar a experiência do usuário mais confortável. Ao todo, o avaliador apresenta ainda mais de 180 avisos sobre aspectos relevantes que devem ser observados.

“O site da Funcef precisa estar plenamente acessível a todos os participantes, inclusive àqueles que têm necessidades especiais. São requisitos mínimos que não podem ser negligenciados”, afirma a diretora da Fenae.
 
Acesse o DaSilva e confira a avaliação do site da Funcef: http://www.dasilva.org.br.

saude_caixa.png

Falhas em cobrança do Saúde Caixa demonstram sucateamento da gestão

Na semana em que usuários protestaram em defesa do plano de saúde, débitos em duplicidade geraram transtornos aos trabalhadores

Materia-EFC-Circo.jpg

Incentive o acesso à arte! Destine parte do seu IR devido para produções culturais

A adesão ao Eu Faço Cultura, projeto da Fenae e das Apcefs que democratiza o acesso à cultura em todo o país, segue até o dia 17 de dezembro. Mas não deixe para a última hora! Cadastre-se o quanto antes

pesquisa_bancaria.png

Estudo aponta que bancos fecham 2.675 postos de trabalho em cinco meses de 2018

Dados são do Caged, órgão do Ministério do Trabalho. Maiores saldos negativos foram registrados em São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. Demissões na Caixa ocorreram devido ao programa de desligamento de empregados