Apresentação | Portal

Apresentação

APCEF-PR: trajetória e atuação em prol da qualidade de vida do sócio

A Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal do Paraná (APCEF-PR) é uma entidade de classe que tem como principal missão oferecer condições para a melhoria da qualidade de vida dos associados, em sua maioria empregados da Caixa, e representar a categoria na busca de seus direitos e interesses.

Para cumprir esse propósito, mantém uma ampla estrutura com sedes localizadas em quase todo o Paraná. Em Curitiba, está a sede social, no Uberaba, considerada o coração da entidade, e uma sala no Edifício Brasil 500, de uso compartilhado com a Agecef-PR (Associação dos Gestores da Caixa do Paraná). A associação ainda está presente em Caiobá (litoral), em Porto Rico (Pesqueira e de Lazer), Alvorada do Sul (Pesqueira e Lazer) e em 19 cidades do interior Paraná, chamadas de regionais.

Nessas sedes, o associado encontra diversas opções de atividades esportivas, de lazer e socioculturais. Há modalidades para vários gostos e habilidades, que vão desde futebol, passando por vôlei, basquete, tênis, atletismo, natação, até truco e tranca. Os sócios atletas participam de campeonatos realizados durante o ano e de competições estadual (Jepar), regional (Jogos do Sul) e nacional (Jogos da Fenae).

No caso da programação sociocultural, os destaques são as festas comemorativas, como a Junina e a da Criança, o Festival Gastronômico, eventos Gourmet, jantares e bailes, como o tão aguardado Baile do Havaí no final de ano. O associado também pode testar seu talento no Festival de Música e em concursos culturais da Fenae.

A ampla lista de convênios com diversas entidades e empresas, entre elas incorporadoras e construtoras, universidades e escritórios de advocacia, com descontos especiais, ainda integram a lista de benefícios. Além disso, são realizadas palestras e propostas ações jurídicas em defesa dos direitos dos associados.
 

Histórico: de sala no prédio da Caixa a sedes em quase todo PR

A história da APCEF-PR começou em 1935 de uma forma peculiar: a partir da frequente solicitação de vales por empregados da Caixa Econômica Federal. O contador da empresa na época, Othelo Werneck Lopes, percebeu que eles usavam os vales para compor o orçamento familiar e a Caixa não possuía uma entidade, a qual poderiam recorrer quando necessitassem de auxílio financeiro.

Para solucionar essa questão, Lopes fundou a Associação Beneficente dos Funcionários da Caixa Econômica Federal em 8 de março daquele ano. Como presidente, entre as primeiras medidas administrativas, transformou os vales em empréstimos, com prazos de pagamento dilatados e juros revertidos para a entidade.

Inaugura_sedesocial2_historico.jpg

Inauguração Sede Social Uberaba

O local inicial das atividades era a sede da Caixa, no Edifício I, em Curitiba. Depois, passou para outros endereços, como na Vila Formosa e Visconde de Guarapuava, até chegar à estrutura atual de estar presente em 23 cidades do estado.

Durante as gestões de Othelo (1935 a 1941, 1943 a 1945 e 1951 a 1955), além dos benefícios financeiros, destacam-se como feitos: a modificação do prédio da Caixa onde funcionava a sede, a criação de biblioteca, de ambulatório e do jornal O Colega, que hoje é uma revista, mas mantém o mesmo nome.

Mesmo nos tempos difíceis da ditadura, quando se chamava AEP (Associação dos Economiários do Paraná), a APCEF-PR avançou. No final da década de 70, com o investimento da Caixa nas associações da categoria, foi construída a sede social, em Curitiba, incluindo na mesma instalação um grande ginásio. O projeto arquitetônico, elaborado pelos arquitetos Luiz Perry e os irmãos Edison e Everson Morozowski, ganhou o prêmio “RS Reinolds”, concedido pelo American Institute of Arquitects, em 1982.

O desenvolvimento da entidade continuou. Após a edificação da sede na capital, foi a vez do interior ganhar sedes. A regional Rolândia, que hoje não existe mais, foi a primeira a ser criada, no final dos anos 70 e início dos anos 80. Em seguida, foi comprado o terreno para a construção da sede de Maringá e criada a Diretoria do interior. Também foi nesse período que a área cultural da associação cresceu com a montagem do Grupo de Teatro da AEP, junto com o coral já existente.  

Na década de 80, a expansão para o interior ganhou impulso, com a criação de sedes, por exemplo, em Pato Branco, Cascavel, Maringá e Ponta Grossa. No final desse período e início dos anos 90, a entidade passou a se envolver mais em questões de relações de trabalho com a Caixa. Um dos destaques da época foi a posição firme da entidade frente à luta pela readmissão de empregados demitidos em 1991. Em todo o país, cerca de 4 mil funcionários estavam nessa condição, entre eles 500 do Paraná. Após meses de manifestos, greve e ações judiciais, todos foram readmitidos.

Nos anos seguintes, a APCEF-PR foi trilhando um caminho negro, até mergulhar no caos financeiro e na penhora de vários bens. A associação só conseguiu se recuperar com o empenho e a dedicação da Gestão Bons Tempos, que empreendeu diversas negociações de dívidas e redução de gastos. A principal delas foi a permuta do terreno da antiga sede da Avenida Visconde de Guarapuava com a construtora Moro, que resultou na quantia de R$ 300 mil, na construção da sede de Caiobá e do edifício Brasil 500, onde a associação mantém uma sala alugada à Caixa e outra sala de uso compartilhado com a Associação dos Gestores da Caixa do Paraná (Agecef).

Após estar revitalizada e registrar superavits, a APCEF-PR entrou no século 21 investindo em algumas obras no interior, na capital e a compra de sede pesqueira em Porto Rico. Mas a intensificação dos investimentos nas sedes veio nos anos seguintes, com a construção de nova sede em Porto Rico, criação da sede em Alvorada do Sul e de nova academia, em Curitiba.

Atualmente, a associação não presta mais auxílio financeiro aos associados, já que as receitas são provenientes, sobretudo, das mensalidades, sem patrocínio da Caixa. Os recursos adquiridos são investidos na estrutura das sedes da entidade, em atividades esportivas e socioculturais e em eventos de discussão da categoria.

Em 2015, além de sócios efetivos e contribuintes, foi criada a categoria sócio-família, que permite a pais, filhos, sogros, avós, netos, irmãos, cunhados, tios e sobrinhos se associarem nas mesmas condições que empregados da Caixa. Assim, a APCEF-PR é composta por sócios e gerações que podem desfrutar de bela estrutura e espírito associativo.

 

Antigasede_Visconde.jpg