29/07/20 15:34

Em caso de sintomas de covid-19, saiba como buscar tratamento

Sintomascovid_comofazer.20.4.jpg

Com o crescente número de casos de covid-19 no Paraná, saber como buscar ajuda ao suspeitar que está com a doença é essencial para um tratamento mais rápido e eficaz. Febre, espirros, tosse seca, dificuldades respiratórias e contato com alguém contaminado recentemente são alguns dos sinais da necessidade de orientação médica e, possivelmente, de teste, para confirmar ou não se está com o coronavírus.

Quem é empregado Caixa beneficiário, deve procurar o Saúde Caixa, que oferece canais para orientação de como proceder neste momento. No site do plano (www.centralsaudecaixa.com.br), é possível ter acesso a atendimento on-line para esclarecimentos sobre a doença, além de contato telefônico. Com a telemedicina, o usuário pode também se consultar com médicos, psicólogos e nutricionistas, usando meios tecnológicos, como a videochamada.  

A conselheira eleita representando a Fenacef no Conselho de Usuários do plano e diretora de Saúde e Benefícios da AEA-PR, Márcia Krambeck, ressalta que esse serviço está disponível a todos os beneficiários. “Os empregados da Caixa que fazem parte do plano, sejam eles ativos, aposentados ou dependentes, podem fazer o teleatendimento”. Antes, porém, é preciso verificar se o profissional escolhido realiza essa modalidade de consulta.

Avaliação médica

O clínico geral Carlos Durski é um dos credenciados do Saúde Caixa, que atende à distância também pessoas com suspeita de estar com o coronavírus. Ele conta que em alguns casos foram observados, além dos sinais mais comuns da doença, mal-estar no corpo e diarreia. Segundo ele, no terceiro ou quarto dia da doença, pode ocorrer ainda perda de olfato e paladar.

Para recomendar o exame ao paciente, Durski avalia os sintomas, se a pessoa faz parte do grupo de risco (cardiopatas, hipertensos, diabéticos, idosos, grávidas, etc.) e seus contatos, sejam pessoas que apresentam sintomas ou não. “Nesta fase de contágio comunitário, 30% de quem tem a doença pode ser assintomática. É o caso de crianças, adolescentes e jovens, que podem transmitir a covid-19 principalmente a familiares”, destaca o médico.

Como fazer o exame

Se a recomendação no teleatendimento for a de realizar o teste, o médico irá emitir o pedido do exame, com base no protocolo do Ministério da Saúde. Com o pedido, o empregado beneficiário pode procurar um credenciado disponível na rede do plano, que realiza o teste pelo convênio, cuja participação é de 20%. É possível fazer o exame pagando o valor previsto nas clinicas e laboratórios (sem pedido médico), mas neste caso não há reembolso.
Para casos identificados em agências, a Gipes (Gerência de Gestão de Pessoas) de cada região será acionada para esclarecer os procedimentos necessários, assim como a Vipes (Vice-presidência de Gestão de Pessoas) orientou os gestores de unidades como proceder.

Caso o beneficiário não esteja em um local com credenciados, mas tenha o pedido médico (conforme protocolo do Ministério da Saúde), pode fazer o teste em qualquer laboratório e pedir o reembolso do valor gasto. Para quem mora em lugares com rede credenciada, mas ainda assim prefere realizar o exame em laboratório fora do plano, o reembolso é de até R$ 160,00 (somente com solicitação médica específica).

Em ambos os casos, é preciso apresentar o pedido do exame e a justificativa do médico, mais a nota fiscal do teste, para pedir a restituição dos valores. A medida vale somente para exames realizados após 1° de julho.

Quem não tem o Saúde Caixa, pode solicitar o exame por meio de outro plano, já que Agência Nacional de Saúde (ANS) liberou cobertura de teste e tratamento da covid-19 a todas operadoras. Caso não se tenha plano, a alternativa é buscar orientação com a Secretaria de Saúde do Paraná ou a municipal de cada cidade.

Próximo passo, o diagnóstico

Para quem tem sintomas de covid-19, o exame indicado é o RT-PCR, pelo qual se coleta material do nariz e da garganta e é considerado padrão de referência. Segundo o médico Carlos Durski, o resultado pode sair em até 24 horas, mas, em razão da rede estar sobrecarregada, é possível que leve até cinco dias.

Durski não recomenda o teste imunológico, que é mais rápido e feito em farmácia, por ter boa chance de resultar em “falso” positivo ou negativo, dependendo a condição da pessoa. Para esse teste, a ANS não liberou o custeio pelos planos de saúde. A liminar a respeito do assunto foi suspensa.

Se o diagnóstico for positivo, o clínico geral informa que o tempo recomendado de isolamento é 14 dias -, com monitoramento especialmente de 48 a 72 horas. “Nessas primeiras horas, é observado como a doença evolui. Se o paciente sentir muito cansaço, pode ser necessária avaliação pulmonar e cardiovascular e até mesmo internamento”, conta o profissional.

Apesar do aumento de casos da doença, Carlos Durski destaca que há grande probabilidade de cura de quem se contaminou com o vírus. De acordo com ele, não é preciso se apavorar – além de cuidar de si, é importante, agora, prezar por quem tem doenças pré-existentes, como as cardiovasculares, e idosos.

Prevenção é o melhor caminho

Pequenas mudanças na rotina podem contribuir para se proteger do coronavírus, como explica a conselheira Márcia Krambeck. “Além de rever a rotina pessoal, usando máscara, álcool gel e praticando o distanciamento, é importante criar novas formas de interagir com familiares e amigos, exercitar o corpo e ter um sono repousante. A prevenção é sempre a melhor opção.”

Como o Saúde Caixa é fundamental em tempos de pandemia, Márcia relata como o Conselho de Usuários tem contribuído nessa luta. “Temos acompanhado e orientado sobre vacinação contra a gripe, teleatendimento e exames para a covid-19, nossa maior demanda nos últimos meses. O plano é viável e sustentável, estamos trabalhando em pequenos acertos nos valores de mensalidade, o que já viabiliza um bom equilíbrio”.  

O que fazer se estiver com sintomas:

Com o Saúde Caixa

•    No site www.liviasaude.com.br, o teleatendimento funciona todos os dias, das 8h às 22h.
•    Pelo telefone 0800 799 9922, o atendimento funciona todos os dias, 24 horas.
•    Ao receber orientações via telefone ou site, se a recomendação for pelo teste, procure um médico credenciado pelo plano. A rede credenciada está disponível no site www.centralsaudecaixa.com.br/coronavirus/ ou no aplicativo do Saúde Caixa.

Sem o plano do banco

•    Quem não tem o Saúde Caixa, pode procurar outro plano, considerando a obrigatoriedade da ANS de cobertura de exame e tratamento da covid-19 a todas operadoras.
•    O clínico geral Carlos Durski atende, além do plano do banco, por meio de convênio com a APCEF-PR, com valor especial de consulta. A associação também mantém parceria com outros profissionais (Confira no site www.apcefpr.org.br, menu convênio)
•    Caso não se tenha plano, a recomendação é procurar uma unidade de saúde na região onde estão recebendo pessoas com sintomas suspeitos. Em Curitiba, a prefeitura criou dois telefones para indicar essas unidades e esclarecer dúvidas sobre o coronavírus : (41) 3350-9000 (8h às 20h, todos dias da semana) ou whatsapp (41) 99876-2903. A Secretaria Estadual de Saúde também disponibilizou uma ouvidoria-geral, pelos contatos: 0800-6444414 e whatsApp (41) 3330-4414 ou 99117-3500.

 

 

Compartilhe